Alunos são para sempre!

O assunto do curso foi Excel, nível intermediário, as 8 horas previstas ministradas em dois dias de 4 horas. No início da segunda aula, a Patrícia – uma das interessadas alunas – comentou:

– Puxa, Fernando, sabe que até estou gostando do Excel!

Nem preciso dizer como fiquei feliz, afinal que professor não gosta de ouvir um aluno falar que está gostando da aula?

Mas a Patrícia continuou:

– Eu nunca gostei muito de trabalhar com planilhas, meu irmão não se conforma. Ele gosta muito do Excel, acha que eu poderia aproveitar bastante os recursos do programa.

Bem, a aula continuou, apresentei todos os assuntos previstos e deu tudo muito certo.

Sempre envio o material didático por e-mail no dia seguinte, acredito que um material feito DEPOIS da aula pode ser muito mais personalizado e adequado. A Patrícia recebeu minha mensagem e respondeu:

– Fernando, sabe o meu irmão, aquele que gosta muito do Excel? Adivinha com quem ele aprendeu? Você! Foi há muitos anos e ele se lembra até hoje.

Puxa, que coincidência. Como este mundo é pequeno! Já pensou, alunos lembrando anos depois de uma aula? E pensando no nome da empresa em que estava o irmão da Patrícia, lembro que aquela aula aconteceu há muitos e muitos anos. A Patrícia falou em nove anos, eu tenho a sensação de que foi muito mais! Não importa, o que vale mesmo é o Fernando – pois é, o irmão dele também se chama Fernando (rs) – se lembrar de tudo. Mais, além de lembrar, ele e a esposa Caroline – que trabalhava na mesma empresa na época – gostam muito do programa. Nossa, que perfeito!

Este foi um dos primeiros cursos que ministrei neste ano, já pensou começar um ano assim? Mal posso esperar pelos próximos!

Um abraço grande,

Fernando Andrade
www.pessoasetecnologia.com.br
fernando@pessoasetecnologia.com.br
(11) 9 9943-4909, 3214-0519

Problemas? Oportunidades!

Quem acompanha meus artigos regulares sabe que estou reformando meu apartamento. Às vezes acho que a reforma é física, do imóvel em si, e pessoal, já que estou aprendendo muito.

Outro dia o teto de um banheiro já estava todo pintado quando surgiu a necessidade de quebrá-lo para a passagem de um conduíte elétrico alternativo. O sr. João, pintor, ficou nervoso? De jeito algum:

– Tranquilo! Deixamos o banheiro para a fase final da pintura. Farei o trabalho com calma, o que será ainda melhor.

“Tranquilo” é uma palavra frequente para o Sr. João, ele sempre a pronuncia quando há algo novo a combinar.

O conduíte novo foi uma necessidade definida pelo eletricista Ney. Ao encontrar uma dificuldade na passagem da fiação para o banheiro, ele foi logo dizendo:

– Vamos passar um conduíte extra, os fios ficarão mais livres, eu conseguirei distribuí-los melhor e as ligações ficarão mais seguras.

Que bom, outro problema transformado em oportunidade de melhoria.

Sou uma pessoa de muita sorte, parece que estou cercado de pessoas que sempre buscam soluções. Meu dente estava doendo, fui ao dentista, ele fez um procedimento. Dias depois a dor voltou. Na nova consulta, ele disse:

– Ah, isso não é um problema. Vamos experimentar um tratamento à base de flúor e aplicações laser? Os resultados costumam ser muito bons!

Não é que a dor de dente passou?

Quanta lição de vida aprendi nestes relacionamentos. É, se encararmos um problema como um problema, é preciso muita energia para resolvê-lo. O segredo, comprovei na prática, é enxergar cada situação inesperada como uma oportunidade de melhoria, de realizar algo de um jeito diferente, de crescer!

Tenho uma sensação de que nunca mais terei problemas na vida!

Um abraço grande,

Fernando Andrade
www.pessoasetecnologia.com.br
fernando@pessoasetecnologia.com.br
(11) 9 9943-4909, 3214-0519