Bagunça? Organização? Perspectiva!

Como usuário do Evernote, recebo regularmente e-mails discutindo produtividade, qualidade e organização. Qual não foi minha surpresa quando um dos textos falou sobre uma pesquisa com 48 participantes, o resultando apontando que “…aqueles em ambiente bagunçado geraram cinco vezes mais ideias criativas do que os outros”.

Como assim? Sou defensor incondicional da organização, da metodologia, do planejamento, tenho conseguido grandes progressos em minha vida agindo dessa forma. Como uma pesquisa comprova que desorganizados podem ser mais criativos? O texto do Evernote ainda dá um golpe de misericórdia, afirma que Albert Einstein e Steve Jobs trabalhavam – e Mark Zuckerberg trabalha – em mesas bagunçadas. Que coisa!

Meio inconformado, continuei lendo o texto. Ainda bem, a pesquisa tinha sequência! Pessoas foram colocadas em dois tipos de ambientes, um bagunçado e outro muito bem arrumado, deviam preencher um questionário. Na saída eram brindados com frutas e doces, aqueles em ambiente organizado escolhiam a fruta; no bagunçado, doce. Em outras palavras, organização leva a escolhas saudáveis. Ufa, que alívio!

Ah, mas a pesquisa ainda me deixaria mais feliz. Solicitados a fazer doações para instituições de caridade, os participantes no ambiente organizado foram extremamente mais generosos. Organização leva à generosidade!

Mas e a conclusão? É melhor ser organizado ou desorganizado? O texto do Evernote complica a resposta, pois afirma que áreas do cérebro de pessoas criativas – as pesquisas neurocientíficas recentes comprovam – são especialmente bem conectadas. Para aumentar a confusão, o texto cita ainda o livro “A Mente Organizada”, de Daniel J. Levitin, “…muitas pessoas bem-sucedidas relatam os benefícios mentais de organizar ou reorganizar seus armários ou gavetas quando estão estressadas”.

Complicou mesmo! Que nada, o texto do Evernote conclui brilhantemente: nem sempre organizado, nem sempre bagunçado. Você é organizado? Experimente os benefícios de bagunças de vez em quando. Não se encontra em suas bagunças? Tente alguma organização e avalie os resultados. O Evernote arremata: “Talvez ao aumentar nossas fronteiras, possamos experimentar mais os sabores que a vida tem para oferecer”.

Aumentar fronteiras, mudar perspectivas, experimentar. Se não me engano, Bill Gates disse uma vez, “me permitam mudar de ideia”. Eu, por exemplo nunca gostei muito de museus, aí comecei a viajar pelo mundo. A princípio me deixei levar apenas pela beleza e imponência dos prédios que os abrigam, mas aos poucos fui percebendo e entendendo algumas obras de arte. Uma nova perspectiva em minha vida.

Como é bom mudar de ideia!

Ah, viajo no próximo ano para a Austrália, existe lá uma grande rivalidade sobre a melhor cidade, Sydney ou Melbourne. Que privilégio, terei a perspectiva de viver 12 dias em Sydney e 10 em Melbourne. Aí sim poderei dar minha opinião. E, quem sabe, mudar de opinião no futuro, afinal estas cidades mudam, eu também mudo!

Um abraço grande,

Fernando Andrade
www.pessoasetecnologia.com.br
fernando@pessoasetecnologia.com.br
(11) 9 9943-4909, 3214-0519