Aula chata não!

– Amanhã sem falta vou cumprir minha meta de estudo! Prometo ver pelo menos uma aula do treinamento!

Há algo errado! Fazer uma aula à distância não pode ser este desafio. Tem que ser prazeroso, agradável, didático. Não é!

Estes tempos de quarentena estão nos ensinando a fazer tudo online, de tradicionais compras até academia. Está funcionando? Muito bem, resultados excelentes, as pessoas estão se acostumando. Gostando! Menos quando entra um curso online, aí o desafio continua!

Por quê?

Abri o jornal – online, claro – o artigo falava sobre pais, filhos, alunos e professores. Um trecho chamou minha atenção:

“– Quem tem filho adolescente diz que ele fica entediado com aulas gravadas em vídeos e muitos pedem EXPLICAÇÕES E CORREÇÕES AO VIVO dos professores, usando ferramentas de chat”. (letras maiúsculas por minha conta)

Pronto! É isso! Exatamente o que tenho defendido, um aluno sente falta da PRESENÇA do professor. Ali, a seu lado, pronto para esclarecer dúvidas, para interagir. Um aluno quer um professor PRESENCIAL.

Leia Mais

Aula distante próxima

Só minha cachorrinha Victória acompanha presencialmente minha aula à distância

O Estadão publicou um amplo guia sobre o coronavírus, um dos artigos – do excelente Pedro Dória – fala sobre o impacto na economia destes meses parados. Para minha surpresa, o texto mostra um lado positivo que eu ainda não havia pensado.

Primeiro, o tom otimista e surpreendente é sobre aulas online:

“…nem tudo é perda ou atraso…se do ponto de vista dos produtos os meses perdidos terão impacto real, para a cultura digital pode ser diferente…uma experiência em escala que vai testar servidores e software, educar alunos e professores, e daí sairá um resultado rico”.

Educar alunos e professores? Achei brilhante esta colocação!

Leia Mais

Holanda, um ano inteiro viajando

Estou praticamente no meio de uma viagem à Holanda, um passeio que terá durado um ano inteiro quando terminar.

Pois é, adoro planejar uma viagem. Assim que cheguei de minha última aventura – Canadá, já no caminho do aeroporto para casa comecei a pensar nesta seguinte.

Mas começar a preparar uma viagem com um ano de antecedência? Certamente, as vantagens são muitas! Primeiro, aumenta muito minha vontade de conhecer o que estou pesquisando; segundo, torna o passeio bem mais produtivo!

Vejam só como é muito bom viajar antes de viajar.


1. Leitura descompromissada, um lazer puro.

Durante quatro meses mais ou menos – de julho a outubro a viagem da vez é Holanda – naveguei por sites, li artigos em jornais e revistas, conversei com pessoas e montei uma lista ampla de lugares que merecem uma visita.

Guardei tudo nos Favoritos do Google Chrome.

Leia Mais

#VergonhaNaCara

Carro estacionado na ciclovia

Há quatro anos escrevi “É tudo questão de vergonha na cara”. Semana passada postei a imagem de um carro estacionado na ciclovia!

Este tema sempre está comigo, o respeito ou não das pessoas. Ontem voltando para casa a pé, não consegui passar pela calçada, muita gente esperando ônibus, fui pela rua. Custava pensar nos outros e abrir espaço?

Há tempos penso em postar situações #VergonhaNaCara nas redes sociais. Evitei até agora, escrever seria reviver o estresse.

Hoje lembrei de um editorial publicado há muito tempo na Folha de São Paulo, o jornalista Cláudio Abramo falava sobre a importância do ser humano manter sua capacidade de indignação. Voltei a pensar em #VergonhaNaCara:

– Carro parado na ciclovia
– Ciclista na faixa de pedestres
– Colega atrapalhando na empresa

Não quero ser negativo, #VergonhaNaCara mostraria também:

– Motorista dando passagem a pedestres
– Professor chegando antes na sala para testar equipamentos
– Vizinho tirando sapatos para não fazer barulho

Estou animado, mas não tenho certeza. Até porque eu também não sou certinho. Outro dia no shopping ocupei uma mesa na praça de alimentação esperando minha mulher voltar com o prato dela.

Bom, queria sua opinião: publico ou não fatos #VergonhaNaCara?

Vou esperar sua resposta para decidir.


Fernando Andrade
Professor

O que vivi no Nordeste

Sala de aula em Codó

Acabei de chegar de uma viagem de duas semanas, estava no Nordeste. Que viagem! Que experiência! Que aprendizado!

Fui a convite da Plan International Brasil, ONG que quer crianças e jovens construindo suas próprias histórias, quer suas comunidades conduzindo seus próprios desenvolvimentos. Eu tinha que participar de alguma forma.

Fui então desmistificar o Excel, queria que os colaboradores da Plan entendessem melhor a ferramenta e assim tivessem mais tempo para seus trabalhos que importam, aqueles feitos nas comunidades.

Primeiro destino, São Luís no Maranhão. Cheguei em uma 6ª feira, queria o sábado e domingo para entender a região.

Deixei a mala no hotel, peguei um ônibus urbano e fui para o centro histórico. Comentei com a cobradora onde iria descer, alguém ouviu e se aproximou oferecendo ajuda. Disse que ficaria um ponto antes, mas que poderia ir comigo.

Não vou negar, fiquei desconfiado. Puro preconceito meu, a ajuda era mesmo sincera. O Alecsandro queria mesmo ser gentil, ficou um tempão passeando comigo.

Solidariedade nordestina! Este foi minha primeira experiência.

A aula para os colaboradores da Plan foi incrível, nunca vi tanta vontade de aprender. Com muito bom humor e energia. Três dias intensos, cursos de Excel nos níveis básico, intermediário e avançado.

Vontade, a segunda experiência.

Próximo destino, Teresina. Cheguei na sala de aula e sugeri um novo layout para mesas e computadores. De imediato, todos se mobilizaram e rapidamente tudo já estava organizado.

Experiência piauiense, flexibilidade!

A viagem não foi só de aulas, eu precisava encontrar pessoas. Há alguns anos venho acompanhando a história da Maria Vitória, hoje com três anos. Ela mora em Paraibano, 5 horas de viagem a partir de Teresina, eu tinha que aproveitar.

Lá fui eu para Paraibano!

Não bastou alguns poucos minutos na cidade, na casa da Maria Vitória, para eu me sentir totalmente em casa. A Sandra e o Franco, pais dela, me receberam como um rei. O irmão dela, Francisco Emanoel, falou no dia seguinte:

Parece que o Tio Fernando sempre morou aqui com a gente!

É, eu me senti mesmo em casa! Também, toda hora a Maria Vitória me abraçava e dizia:

Eu gosto de tu!

É muito amor!

Mais uma experiência, amizade. Amizade, carinho, respeito! Família!

Última destino, Codó.

Em minhas aulas sempre peço para as pessoas fazerem exercícios práticos, assim consigo ver se todos estão realmente aprendendo. Ali naquela sala de aula ninguém sossegava enquanto não fizesse uma planilha exatamente como eu havia sugerido.

Experiência desta vez, comprometimento!

Hoje já de volta a São Paulo, não paro de pensar em tudo o que aconteceu, em tudo que aprendi, em todas as pessoas que conheci! Engraçado, antes Maranhão e Piauí eram apenas estados do Nordeste, hoje são … Maranhão e Piauí. Dois locais únicos, agora fazem parte de minha vida!

Inesquecível!

Turma em São Luís
Alunos em Teresina

Excel, PowerPoint, Outlook e Excel como você NUNCA viu!

Para minha grande alegria, em praticamente todo final de aula ouço frases assim:

– Minha vida no computador jamais será igual!

– Por que não participei da palestra antes?

Bom? Bom demais! Mas aí fico pensando, há muitas empresas que já conheceram minhas aulas, mas há uma quantidade ainda maior – muito, muito maior – em que nunca tive a felicidade de mostrar a metodologia que tanto faz sucesso entre nossos clientes fiéis.

O que fazer?

Pronto, tive uma intuição outro dia, oferecer uma palestra gratuita para aqueles que querem conhecer um ótimo – modéstia à parte – estilo de dar aulas.

Entusiasmado com a ideia, escolhi um dos títulos que mais tem feito sucesso, Excel, PowerPoint, Outlook e Word como você NUNCA viu! É um dos temas que mais gosto de ministrar, quem participa também fica muito empolgado.

De fato, sempre digo que esta palestra acaba criado problemas para a área de treinamento, já que todos querem mais. E por quê?

– Sabe aquela função Excel que você sente que não está aproveitando?

– Lembra do último slide PowerPoint que você fez e ficou com uma sensação de que poderia melhorar?

– É familiar aquele sentimento de falta de tempo para administrar sua agenda Outlook congestionada?

– Às vezes parece que o Word tem vida própria e muda seus textos sem que você queira?

Bem, é por isso que a palestra funciona. Embora rápida – apenas 2 horas – vamos tratar de todos estes temas. E muito mais! E não só tratar, vamos resolver!

Ah, não vou esconder, sua empresa precisará depois administrar a ansiedade dos participantes, todos vão querer mais. E, claro, nós podemos ajudar com vários outros temas.

Você quer levar esta palestra para sua empresa? É gratuita e certamente fará muito sucesso. Aqui estão meus contatos:

Fernando Andrade

www.pessoasetecnologia.com.br

fernando@pessoasetecnologia.com.br

Um abraço grande!

Se eu fosse você

Esta é a Victória descansando depois de um bom passeio!

Adoro passear com minha cachorrinha! Se ela quer parar para cheirar algo, eu espero! Se quer atravessar a rua, eu a pego no coloco e vamos para a outra calçada. Se ela quer se coçar, paro de andar. O passeio é dela, não meu! Eu não gosto de cheirar e nem de me coçar (rs), mas se minha proposta é levá-la para passear, tenho mais é que me colocar no lugar dela!

Empatia! Talvez um dos comportamentos mais relevantes para o momento em que estamos vivendo.

Uma vez fui dar uma aula especial para uma pessoa recém-contratada para um alto cargo em uma empresa. Só que ela estava ansiosa para mostrar resultados, não tinha a menor condição de prestar atenção ao que eu iria ensinar.

A solução? Em uma primeira aula com duas horas de duração, passei quase o tempo todo falando sobre o trabalho dela em outras empresas, seus pontos fortes e principalmente sobre o que ela achava que seria o novo trabalho. Só nos últimos 15 minutos comecei a falar sobre os temas para os quais fui contratado.

Tempo perdido? Enrolação (rs)? De forma alguma, as aulas restantes fluíram demais! De fato, foi um dos melhores cursos que já ministrei na vida.

Vejo muitos RHs insistindo em soluções sem realmente entender a necessidade do cliente interno. Vejo muitas empresas correndo atrás de indicadores e estatísticas de aulas realizadas. Tudo bem, pode ser um caminho, mas o que eu busco mesmo são frases assim:

– Nossa, esta explicação mudou minha vida!

– Puxa, eu demorava horas para fazer isso, agora é questão de minutos

Dar uma aula e perceber a real necessidade dos alunos é uma realização enorme. Frases como estas justificam todo o meu trabalho.

Aliás, desde que aprendi a me colocar no lugar dos alunos, percebi também como a vida é muito melhor quando percebemos o outro. Hoje consigo entender as razões de minha mulher, do zelador do prédio em que moro, do caixa do supermercado e até do motorista estressado a meu lado. É muito bom viver assim! Eu recomendo!

Um abraço grande!

Fernando Andrade
www.pessoasetecnologia.com.br
fernando@pessoasetecnologia.com.br
(11) 9 9943-4909, 3214-0519