Formação de multiplicadores

Formação de multiplicadores

A demanda por treinamento é cada vez maior, os assuntos são cada vez mais complexos e por isso muitas vezes é um colega de trabalho a pessoa mais indicada para transmitir seus conhecimentos aos demais membros da equipe.

  • Ensinar, dar aulas, multiplicar conhecimentos é uma arte muito especial
  • Ao conhecimento do assunto, aliamos didática, organização e metodologia
  • Conquista do aluno para que ele deseje e, desejando, aprenda!
  • Estímulo à aprendizagem contínua fora da sala de aula
  • Conquista e realização pessoal – do multiplicador e dos participantes

Público alvo

Todo colaborador que pode e deve passar seus conhecimentos aos demais colegas da empresa.

Suporte

O professor fica à disposição durante 90 dias para esclarecimento de dúvidas via e-mail.

Carga horária

16 horas.

Local

Instalações indicadas pela empresa cliente.

Objetivos do treinamento

  • Capacitar e aperfeiçoar colaboradores para transmitir conhecimentos
  • Levantar objetivos e valores desejados para um treinamento
  • Criar planos de treinamento
  • Aplicar treinamento
  • Desenvolver ferramentas de apoio como slides e dinâmicas
  • Elaborar material didático
  • Avaliar resultado

Metodologia

O treinamento é composto por quatro partes distintas e complementares

1a. parte: Conceitos 

O professor forma os conceitos essenciais para a transmissão de conhecimentos (listados no conteúdo programático mais adiante). Tudo é ilustrado com estudos de casos: treinamentos que funcionam e treinamentos que não funcionam. É aqui que o aluno terá a base para suas novas aulas.  

2a. parte: Preparação de treinamentos

Os participantes – em grupos – planejam e desenvolvem um treinamento, sempre com a orientação do professor. Nesta etapa o aluno coloca em prática os conhecimentos adquiridos.  

3a. parte: Treinamentos na prática

Esta é uma das partes mais interessantes do evento, a fase de resultados, onde cada grupo aplica o treinamento desenvolvido na parte 2. O professor faz comentários durante e após cada aula. Os demais alunos também opinam. Assim os próximos grupos podem aproveitar os comentários feitos.  

4a. parte: Aperfeiçoamento 

Para fechar o ciclo, cada grupo aplica novamente seu treinamento, incluindo agora tudo o que aprendeu durante as aulas práticas já realizadas: pontos positivos, pontos a melhorar, comentários dos colegas e orientações do professor.

Conteúdo

Conceitos essenciais

Como transformar necessidades de conhecimento em treinamentos;
A arte de disseminar conteúdos programáticos em treinamentos eficazes;
Considerações sobre métodos pedagógicos e andragógicos de ensino;
Instrutor, tutor e facilitador.

A criação de um evento

Objetivos;
Planejamento: as várias etapas do evento;
A preparação do conteúdo;
A elaboração de exemplos práticos, de aplicação imediata no dia-a-dia dos profissionais;
As dinâmicas de apoio;
Plano de aula;
O material didático: objetivo, completo e de fácil consulta;
Slides: quando e como usá-los?

As habilidades de um facilitador

A arte da boa comunicação;
Postura e atitude;
Assertividade;
Didática, clareza e organização;
Empatia, percepção e flexibilidade;
Oratória e técnicas de apresentação;
Feedback: dar e receber;
O equilíbrio emocional: medo, “brancos”, ansiedade antes e durante um treinamento;
Como lidar com os imprevistos;
Administrando turmas: heterogêneas, resistentes, apáticas, eufóricas;
As perguntas difíceis, as respostas necessárias e os comportamentos indesejados

A infraestrutura

Equipamentos;
Material de apoio;
As diferentes opções de layouts de sala.

A aplicação do treinamento

Preparando o ambiente: equipamentos, infraestrutura, layout;
Avaliando o público: nível de conhecimento, expectativas e motivação;
Percebendo e quebrando resistências;
Conciliando expectativas da empresa, do grupo e do facilitador;
O desenvolvimento dos assuntos planejados;
A facilidade de compreensão de cada participante;
Motivação, sensibilização e conquista dos participantes;
A administração constante do tempo;
O momento de aplicar dinâmicas que facilitem maior absorção de conceitos;
Avaliando o aprendizado em tempo real;
O “jogo de cintura” e a adequação do conteúdo ao público presente.

Depois do treinamento

A avaliação dos participantes;
A avaliação do facilitador;
O trabalho pós-curso, quando necessário;
O apoio aos participantes e o esclarecimento de dúvidas posteriores.

Atividades de suporte

Preparar sala de treinamento para a realização do evento;
Informar área de treinamento e área demandante sobre o andamento dos trabalhos;
Coordenar preenchimento da lista de participantes;
Aplicar avaliações de reação.

 

Preencha seus dados e entraremos em contato